As belezas naturais da Antártida estão ao alcance de velejadores com espírito aventureiro. Saiba mais

0
1258
Foto: Heitor Cavalheiro

Velejar até Antártida é coisa apenas para exploradores polares experientes, certo? Não acredite nisso. Depois de vencer um mar de gelo, qualquer mortal pode ficar diante de uma colônia de pinguins e não se chamar Amyr Klink. “Para fazer uma viagem desse tipo, além de espírito de aventura e curiosidade para descobrir novas paisagens, são necessárias duas coisas fundamentais: um comandante experiente e um veleiro próprio para navegar nas regiões polares”, conta o velejador Charlie Flesch, de 42 anos, que nos próximos meses fará duas incursões programadas à Península Antártica, a bordo de um veleiro de 70 pés, levando oito convidados, além da tripulação fixa, num total de 12 aventureiros. Esses requisitos, tanto Charlie Flesch (que apesar do nome gringo é brasileiro mesmo) quanto o seu barco, o veleiro francês Fernande, de casco de alumínio, preenchem 100%.

Confira tudo sobre a aventura na edição de Náutica, disponível nas principais bancas e livrarias do país, na loja online e, também, na versão digital.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones