Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro retomará trabalhos de construção naval

0
946

Berço da construção naval, o Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro (AMRJ) destaca-se pela excelência das suas atividades técnicas e industriais, envolvendo o projeto, a construção e a manutenção dos meios navais.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Ao longo de sua história de 258 anos, já construiu importantes navios para a Marinha do Brasil, a exemplo do Navio-Escola “Brasil”; das corvetas “Frontin”, “Jaceguai” e “Barroso”; das fragatas “Independência” e “União”; dos submarinos”Tamoio”, “Timbira”, “Tapajó” e “Tikuna”; dos Navios de Assistência Hospitalar “Carlos Chagas” e “Oswaldo Cruz”; e dos Navios-Patrulha Fluviais “Raposo Tavares” e “Pedro Teixeira”.

O AMRJ está pronto para um novo ciclo de desenvolvimento, iniciado com a construção dos Navios-Patrulha da classe “Maracanã”. “Esse arrasto tecnológico, essa retomada da construção no Arsenal, com os navios-patrulha Maracanã e Mangaratiba, traz uma motivação muito grande para o nosso pessoal, com investimento de maquinários, treinamento de pessoas e investimento na qualidade do seu serviço. O Arsenal de Marinha reafirma a retomada de construção naval nas suas instalações”, diz o Contra-Almirante (EN) Rangel, diretor do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, ao canal Forças de Defesa.

Leia mais:

» Porto Rotondo abriga uma das melhores marinas do mundo. Saiba mais sobre o local

» Família Real Britânica prevê aumentar sua frota com novo megaiate. Saiba mais

» Birmingham, no Reino Unido, será palco para novo salão náutico em 2022

Os navios-patrulha contribuem para a defesa do mar territorial, da zona contígua e da zona econômica exclusiva do Brasil, realizam ações de esclarecimento, reboque de navios e socorro em auxílio a pessoas em perigo no mar.

De acordo com o Capitão de Mar e Guerra (EN) Dinucci, gerente de obras de construção naval, o navio-patrulha Maracanã já conta com 67% de sua construção concluída, depois de ter chegado ao arsenal com cerca de 45% concluído pelo estaleiro de origem. Atualmente, o pessoal tem trabalhado na parte de redes e finalizando a passagem de cabos do navio, que são metas prioritárias para o avanço da obra. “A parte de propulsão se encontra já montada, assim como a parte de geração elétrica do navio”, complementa.

Segundo informações do supervisor de construção naval Almir Escobar, o arsenal já conta com novos projetos e perspectiva de novas obras, um motivo de alegria e empolgação para a equipe.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

Prime Share