Lugar obrigatório para quem gosta de navegar, Angra dos Reis combina ilhas e praias próximos da perfeição

0
811
Foto: Matheus Fugazza

“Se existe um paraíso, é bem perto daqui.” A frase foi registrada em carta por Américo Vespúcio para descrever a antiga Vila dos Santos Reis, que o navegador Gaspar de Lemos, que comandava uma esquadra vinda de Portugal da qual Vespúcio fazia parte, descobriu no dia 6 de janeiro de 1502, que por coincidência era dia de Reis. Pudera, a paisagem era mágica, e quase surreal: oito baías, 365 ilhas e mais de 2 000 praias praticamente selvagens, em meio à Mata Atlântica. Cinco séculos depois, com suas belezas naturais (uma combinação de matas com mar entre o azul e o verde), Angra dos Reis — localizada na região conhecida como Costa Verde, a 155 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro —, continua sendo um lugar mágico, sobretudo pela óptica de quem a percorre embarcado. Não por acaso, as baías de Angra e de Ilha Grande concentram cerca de 80% dos barcos de lazer do país.

Nesse cenário, que até os anos 60 era ocupado por aldeias de pescadores ou veranistas aventureiros, os navegadores encontram o paraíso descrito por Américo Vespúcio. É só sair singrando o mar azul e transparente para encontrar uma baía tranquila, uma enseada escondidinha (que eles chamam de “saco”) ou uma ilha deserta com praias quase intocadas, de beleza de tirar o fôlego. A praia de Lopes Mendes, por exemplo, com sua faixa de areia branca e fofa, que emite “ics, ics” sob os pés, foi eleita umas das dez mais belas do mundo. Por sua vez, Cachadaço, tem como atração as piscinas naturais formadas por grandes pedras e pelas águas translúcidas do mar. E o que dizer do Saco do Céu, na Ilha Grande, o lugar preferido pelos donos de barcos, para pernoite, vendo as estrelas refletidas nas águas calmas, nas noites de lua cheia.

Sem contar a praia do Dentista, na ilha da Gipóia, o point dos points da juventude dourada de Angra, provavelmente um dos únicos lugares do mundo que sofrem congestionamento de lanchas e iates. No verão, quase 400 lanchas ancoram uma ao lado das outras num só dia. Talvez ninguém de fato nunca as tenha contado, uma a uma, mas há quem garanta que a Baía de Angra dos Reis e arredores concentrem 365 ilhas. São lugares mágicos, de águas calmas e cores variando entre o azul e o verde, rodeados por uma opulenta vegetação de Mata Atlântica. O único problema desse é que, quando você acha que encontrou a praia mais bonita de todas, logo surge outra, que, pensando bem, é ainda melhor.

Para melhorar ainda mais a receita (transformando o cenário econômico da região), o prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, vem fazendo investimentos em qualificação de mão-de-obra. No centro dessa ação está o Parque Tecnológico do Mar, o primeiro do país, que ocupa um espaço de 19.000 m² destinado à ciência, tecnologia, inovação, educação e empreendedorismo. “Vamos formar a garotada, preparar técnicos, desenvolver tecnologia. O Brasil precisa de outras matrizes econômicas, essa aqui, a náutica, pode ser a saída para o nosso crescimento”, defende Fernando Jordão, que aproveitou o espaço reservado aos Destinos Náuticos, no São Paulo Boat Show 2019, para destacar o que todo mundo já sabe, mas não custa nada repetir: que as baías de Angra e de Ilha Grande são um dos melhores lugares do mundo para navegar.

Para ajudar os visitantes do São Paulo Boat Show 2019 a conhecer alguns dos melhores lugares do Brasil para navegar, o salão náutico paulista apresentou a segunda edição da exposição Destinos Náuticos, um espaço exclusivamente criado para promover localidades com vocação náutica. São lugares com atrativos para todos os gostos.

O maior salão náutico indoor da América Latina chegou em sua 22ª edição em 2019, reunindo os principais lançamentos e destaques do setor em um só lugar. Iates, lanchas, veleiros, jets, motores, equipamentos, acessórios e muito mais que o público pôde acompanhar até a última terça-feira, no São Paulo Expo.

Como já é tradição, o Espaço dos Desejos trouxe os lançamentos dos produtos mais cobiçados do mercado de luxo, de relógio a helicóptero. No pavilhão Destinos Náuticos, os visitantes puderam conhecer lugares paradisíacos e participar de um bate papo com velejadores sobre suas viagens incríveis. Por mais um ano, o PADI Dive Festival aconteceu simultaneamente ao São Paulo Boat Show, apresentando produtos, serviços, palestras e atrações voltadas para o mergulho. O São Paulo Boat Show trouxe, ainda, a mostra Tesouros Náuticos, com cerca de 20 barcos clássicos, entre lanchas e veleiros, para o público conhecer e se encantar. O São Paulo Boat Show 2019 teve organização Boat Show Eventos, patrocínio Bradesco Private Bank, co patrocínio Metalu Brasil, e com apoio da Revista Náutica e da Acobar.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.