Amyr Klink e equipe iniciam viagem Honda – Pra Lá do Fim do Mundo

0
21267

O navegador Amyr Klink trocou a água pela terra nesta quarta-feira (7). Foi dada a largada para a viagem Honda – Pra Lá do Fim do Mundo, liderada por ele, a bordo dos modelos Honda HR-V e WR-V. Organizada pelo Portal ECOinforme, a viagem irá percorrer mais de 7 500 quilômetros, passando por quatro países (Brasil, Uruguai, Argentina e Chile) durante 19 dias. Trata-se de um roteiro icônico, que partiu da sede da Honda, em São Paulo, com destino a Puerto Toro, o vilarejo mais austral do mundo, no extremo sul do Chile – que fica depois de Ushuaia, a cidade mais conhecida como o fim do mundo. O percurso incluirá cidades turísticas e inóspitas, estradas dos mais variados tipos, além de curiosidades, gastronomia e personagens surpreendentes. soma em seu currículo mais de 2.500 palestras proferidas no Brasil e Exterior.

“Eu não sou um especialista em viajar pelo mar apenas, eu gosto da experiência de viajar! Tenho feito muitas viagens por terra na América do Sul nos últimos anos, e essa é a primeira vez que eu estou podendo compartilhar isto com um grupo maior de pessoas e também com os que ficam… O intuito é fazer com que as pessoas percebam que não tem nada de aventura, que esta é uma experiência acessível a qualquer um, rasgar a nossa linda América do Sul até o seu extremo”, declarou Amyr Klink.

Amyr relata em palestras suas experiências em viagens que realiza desde 1978, quando ainda muito jovem, fez sua primeira viagem internacional, de moto, de São Paulo até o Chile. Em 1984, fez a inédita travessia solitária a remo do Oceano Atlântico Sul. A jornada de 3 700 milhas percorridas ao longo de 100 dias, quando cruzou a remo o Atlântico entre a Namíbia e a Bahia, foi retratada no best seller Cem Dias entre Céu e Mar. Em 1986, realizou a primeira de suas 30 viagens à Antártica. A bordo do veleiro que construiu, o Paratii, em 1989 estreou como velejador em uma viagem solitária que duraria 642 dias, passando sete meses e meio propositalmente imóvel em uma invernagem na Antártica. De lá, seguiu para o Ártico e retornou ao Brasil após percorrer, numa única viagem, 27 mil milhas. Amyr descreve a viagem no livro Paratii Entre Dois Polos.

Em 1998, Amyr realizou uma nova viagem inédita: uma volta ao mundo solitária ao redor do continente antártico. A viagem sem escalas, quando cruzou todos os meridianos da Terra abaixo da latitude 60º Sul, durou 79 dias. Sua experiência está relatada no livro Mar sem Fim. Em 2002, concluiu a construção do Paratii 2 e, entre dezembro de 2003 e fevereiro de 2004, refez a circum-navegação polar, dessa vez com cinco tripulantes. A viagem durou 76 dias sem escalas, quando navegou 13,3 mil milhas e está descrita em seu livro Linha D’Água – Entre Estaleiros e Homens do Mar, lançado em 2006. Em dezembro de 2017, lançou o livro Não há tempo a perder em depoimento à Isa Pessoa.

“O conhecimento e o carinho de Amyr pela região despertaram um desafio que, na verdade, qualquer um pode vencer. Nosso objetivo é esse: mostrar que para realizar uma viagem como esta é só ter planejamento, ousadia, coragem e um carro que você pode confiar”, afirma Joel Leite, que também embarcou na viagem. Ao lado deles estão, ainda, Diego Castellari, Henrique Skujis, Juliana Sih, Rogério Kiguchi Tomazela, Diego Zani, Fabio Cendrete do Prado e Aparecido Flores Pinheiro.

Entre os locais a serem explorados em território nacional estão: Balneário Camboriú (SC), Serra do Rio do Rastro (SC), Xangri-lá (RS), onde está o parque eólico da Honda Energy e a cidade de Chuí (RS), já na fronteira com o Uruguai. No litoral do Uruguai, está prevista parada em Piriápolis, cidade que recebe grande quantidade de veleiros a caminho da Antártida, e na charmosa Colônia do Sacramento, cidade mais antiga do país e patrimônio da Unesco. O percurso continuará para a Argentina, passando pela capital Buenos Aires, pela Península Valdés, região que conserva um ecossistema bastante peculiar, e pela Província de Santa Cruz. Ao sul do país, o navegador promete revelar praias e locais que considera encantadores, incluindo a terceira maior reserva de água doce do mundo, o Glaciar Perito Moreno.

Ao sul da Patagônica chilena, a beleza exuberante do Parque Nacional Torres del Paine também fará parte do roteiro. A reta final prevê um trajeto espetacular que só pode ser feito de balsa em uma travessia de 32 horas pelo estreito de Beagle, canal que separa as ilhas da Terra do Fogo, no extremo da América do Sul. Puerto Toro, na ilha Navarino, será o destino final. A reta final da viagem prevê um trajeto espetacular que só pode ser alcançado de balsa em uma travessia de 32 horas por fiordes, picos nevados, rios e mares. A travessia passa pelo estreito de Beagle, canal que separa as ilhas do arquipélago da Terra do Fogo, no extremo da América do Sul. Os carros também seguirão a bordo. O vilarejo Puerto Toro, na ilha Navarino, será o destino final desta grande aventura.

“Trata-se de um roteiro icônico, que vai para o extremo da América do Sul, o povoado mais austral do mundo. A Patagônia é a região menos afetada por problemas climáticos e com pouca presença humana. Descobrimos como ir um pouquinho além do fim do mundo e vamos, durante 19 dias, descobrir as riquezas da região rumo à Puerto Toro, depois de Ushuaia, assimilando as transformações geográficas e de territórios. Será memorável”, diz Klink.

Os modelos Honda HR-V e WR-V foram escolhidos para encararem esse desafio por serem SUVs com postura robusta, alta qualidade construtiva e resumirem uma série de outras qualidades que os tornam parceiros perfeitos para viagens. Os SUVs da Honda têm espírito ativo e podem levar seus ocupantes para os mais diversos destinos, permitindo desbravar lugares incríveis, com a tranquilidade de estar em um carro eficiente, confortável e seguro.

O HR-V e o WR-V trazem como pontos fortes amplo espaço e a praticidade.  Desenvolvidos sob a filosofia “Máximo para o Homem, Mínimo para a Máquina”, acomodam até cinco ocupantes com conforto e permitem o uso extensivo do compartimento de carga, por meio de seu sistema exclusivo de configuração dos assentos. O HR-V possui motor 1.8 i-VTEC e o WR-V é equipado com o motor 1.5 i-VTEC. Ambos são aliados a transmissão CVT, entregando performance com economia de combustível. Durante a viagem, Amyr Klink e equipe irão mostrar que, com bom planejamento, conhecimento do roteiro e um carro confiável e seguro, qualquer pessoa pode desbravar lugares incríveis e chegar até o fim do mundo.

A viagem ainda traz proposta sustentável, com a neutralização do carbono emitido durante o trajeto. O selo e o certificado Carbon Free foram emitidos pela Iniciativa Verde, parceira do projeto, e atesta a execução e a contribuição para a mitigação do aquecimento global e a recuperação e conservação da Mata Atlântica. No projeto de compensação das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) da viagem foram contabilizadas emissões de CO2 na ordem de 8,16 toneladas. Para compensar este montante, serão plantadas árvores na Mata Atlântica, no início da estação chuvosa, entre novembro e dezembro. Na parceria também está prevista a manutenção das mudas por dois anos, com eventual reposição, se necessário. Vale acrescentar que, de acordo com a Iniciativa Verde, a quantidade de CO2 sequestrada por uma árvore média é de 0,19 tonelada.