Amsterdã prevê navegação exclusivamente elétrica até 2025

0
374

Uma iniciativa da prefeita Femke Halsema, do Partido Verde de Amsterdã, quer proibir motores a diesel nos antigos canais do centro da cidade até 2025, reforçando o combate às mudanças climáticas. Os barcos do canal serão os primeiros a passar pelos ajustes, e serão a atração turística mais popular de Amsterdã – cada um em uso até 14 horas por dia, com 320 deles transportando quase 4 milhões de passageiros anualmente.

Um dos barcos do local, é o clássico centenário Gerarda Johanna, que traz alta tecnologia por trás de sua estrutura de madeira: 66 baterias de íon de lítio movem seus hélices. O modelo tem seu próprio cais e estação de carregamento. A transição de embarcações como esta, de 1922, exige trabalhos de engenharia e um pouco de arte.

LEIA TAMBÉM
>> Seaview: o iate que será construído pela MCP Yachts com a holandesa Vripack
>> Intermarine prepara dicas de como cuidar dos barcos durante a COVID-19
>> Teste Ventura V195 Crossover: a evolução de uma das lanchas mais vendidas do Brasil

Dos 12 mil barcos turísticos de Amsterdã, na maioria embarcações particulares menores, apenas 5% são livres de emissões, segundo estimativas oficiais. Convertê-los em elétricos custaria de 4 a 40 mil euros, dependendo do tamanho, embora muitos provavelmente sejam vendidos ou substituídos.

A cidade está trabalhando para ter 100 estações de carregamento das baterias de barcos instaladas até o final de 2021, bem como uma estação de carregamento flutuante lançada pela startup Skoon Energy nesta semana, que deverá ajudar no equilíbrio da rede.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Teste Ventura V195 Crossover – 19/03/2020