Amasea Yachts apresenta novo conceito de catamarã em alumínio

0
901

A Amasea Yachts, estaleiro que chegou ao mercado náutico internacional em 2018, revelou seu projeto de catamarã de 25 m com três conveses, pensado para cruzeiros de longo alcance.

Construído inteiramente em alumínio, com casco reforçado para navegar em altas latitudes, o Amasea 84 tem design exterior e arquitetura naval assinados por Albert Nazarov, especialista em catamarãs de alta velocidade. O modelo promete atravessar o Atlântico sem reabastecimento, com armazenamento a seco e a frio suficiente para permanecer no mar por até seis semanas.

A produção será limitada, oferecerá um alto nível de personalização – os clientes são livres para escolher seu próprio designer de interiores e usar materiais de alta qualidade para a construção e o acabamento. O iate também terá uma área de serviço dedicada para a tripulação.

Jack Wijnants, fundador da Amasea Yachts, teve a ideia depois de não conseguir encontrar um catamarã de 20 a 25 metros para viajar pelo mundo com sua esposa. “Eles eram todos caros, limitados na personalização de interiores e, geralmente, acabavam usando materiais de baixa qualidade”, explica ele. “Além disso, havia muito pouca privacidade para os hóspedes, já que a tripulação precisava usar as mesmas instalações de cozinha.

“Toda a história começou com nossos próprios requisitos que não puderam ser atendidos pelos construtores. Então, decidi desenvolver meu próprio catamarã e, ao mostrá-lo a alguns amigos corretores de iates, eles me disseram que eu deveria comercializá-lo”, completou Wijnants.

Ter três conveses em vez de dois apresenta muito mais flexibilidade em termos de layout, acrescenta Wijnants. A suíte master, por exemplo, pode ser no convés principal ou inferior e o iate é projetado com duas cozinhas: uma para uso dos hóspedes e uma menor para a tripulação.

A Amasea Yachts está montando seu próprio estaleiro na Turquia para construir o casco e a superestrutura. A ideia é que os iates sejam concluídos em um estaleiro na Itália ou na Holanda.

A primeira unidade de 25 m deve levar de 18 a 20 meses para ser concluída, mas o tempo de construção subseqüente será de 13 a 16 meses, com uma produção máxima de sete unidades por ano. Um pacote de propulsão híbrida também é considerado.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones