25º Circuito Conesul

0
1224

O 25º Circuito Conesul terminou nesta terça-feira, 20, feriado da comemoração da Revolução Farroupilha, com apenas uma regata barlasota, devido a entrada do vento quase no fim tarde. A competição contou com a participação de 25 barcos dos clubes de Porto Alegre: Veleiros do Sul, Clube dos Jangadeiros, Iate Clube Guaíba, SAVA e do Iate Clube Saldanha da Gama, de Pelotas.

Os jovens comandantes foram os destaques neste ano nas classes medidas da competição. Henrique Dias, 28 anos, do barco C’est la vie, do Veleiros do Sul, venceu na ORC Internacional e agora ostenta o título de hexacampeão do Circuito Conesul de Vela de Oceano (2004, 2011, 2012, 2014, 2015 e 2016). Ele chegou em primeiro em três regatas e duas em segundo. E a vitória foi mais significativa ainda por ter ganho o 45º Troféu Seival e se tornado pentacampeão da regata longa de 68.5 milhas de distância.

Há 12 anos, quando Henrique estreou com o barco C’est la vie no Circuito Conesul, não imaginava de uma trajetória tão bem-sucedida. Apesar de jovem, já começa a fazer história na classe Oceano gaúcha. Comemorou a sua sexta vitória e apontou alguns fatores do seu bom desempenho, assinalando a sua tripulação composta por Vilnei Goldmeier, Marília Bassoa, Alexis Knebel, Frederico Sidou e Isaak Radin.

“Estava muito motivado para disputar o Circuito e, para isso, fiz algumas mudanças no barco, ajustes para facilitar as manobras. Não ficaram como eu desejava, porque foi uma corrida contra o tempo, mas sem dúvida melhorou, tanto que andamos mais próximos de barcos que antes eram mais velozes do que o meu. Dedico o título ao meu pai, que faleceu esse ano e foi meu grande incentivador, ele meu deu o C’est la vie – um Fast 30 pés – quando eu tinha apenas 15 anos. Isso não é comum de se ver”, relatou Henrique. Na segunda colocação ficou o San Chico, de Francisco Freitas, do Clube dos Jangadeiros.

Na classe Bra RGS, o título também ficou com um jovem comandante, Lucas Mazim, de 23 anos, do Clube dos Jangadeiros, que estreou no leme do Abaquar no circuito. Ele também foi o vencedor da Regata Farroupilha, de percurso longo da classe, na distância de 50 milhas. Acostumado mais a velejar nas classes Laser e Snipe, Lucas gostou muito da motivação da tripulação. “Foi muito bacana ver todos empenhados em fazer o melhor a bordo. A integração da gurizada. Nós procuramos deixar o barco bem ajustado para as regatas, a experiência do Paulo Ribeiro e do Rene Garrafielo, foi importante neste trabalho. Este é meu primeiro título no Circuito Conesul e estou muito satisfeito com o resultado”, disse.

No Abaquar, também fizeram parte da tripulação Júlio Borela, Guilherme Suarez, Iam Paim, Luiz Eduardo Solkonik e Fábio Ribas. Em segundo lugar na BRA –RGS ficou o barco Taz de Augusto Moreira, do Veleiros do Sul. E na classe Microtoner 19, o campeão do Circuito Conesul foi o Batucada, de José Eduardo Araújo (SAVA), e em vice, o 14 Bis, de Humberto Blattner (SAVA).

Foto: Reprodução

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br