11 barcos-conceito fantásticos que podem ir para as águas nos próximos anos

0
1190

Com ousadia, muita criatividade e uma inegável pitada de piração, alguns projetistas ousam nadar contra a corrente conservadora e dar asas à imaginação. O resultado são alguns dos barcos (a maioria, apenas conceituais) mais incríveis que você já viu, em termos estéticos e tecnológicos. O objetivo: aguçar a fantasia de quem curte navegação. São projetos tão malucos quanto instigantes, como esses:

Projeto Galileo²


Dificilmente haverá em nossas águas algo tão surpreendente quanto o Project Galileo², assinado pelo escritório Beiderbeck Designs, da Alemanha. Com 200 metros de comprimento (656 pés), esse catamarã chama atenção tanto pelo design futurista quanto pelo sistema de propulsão: a metanol, com o uso da tecnologia geotérmica — o aproveitamento de todo calor interno para a produção de eletricidade. A capacidade de acomodação do barco será de 113 pessoas, incluindo 38 convidados e 75 tripulantes, e em seus cascos haverá espaço para mini-submarinos, um restaurante, um cinema ao ar livre, um pequeno hospital, uma piscina de 500 metros quadrados e um píer de 80 metros de extensão — ou seja, ele atuará também com uma marina.

Codecasa Jet 2020


Outra novidade originalíssima é este superiate de 70 metros de comprimento (229 pés), com piscina no convés, projeto do estaleiro italiano Cantieri Navali Codecasa. Inspirado em uma aeronave, o Codecasa Jet 2020 é repleto de recursos estilísticos emprestados do mundo da aviação. Repare no terraço de popa: lembra a cauda de um avião ou não lembra? E o que dizer da sala de comando, na proa, com sua forma compacta e arredondada? É uma cópia fiel de uma cabine de avião, sem tirar nem pôr. Outros arranjos típicos de uma aeronave são as entradas de ar, projetadas para refrigerar um motor a jato, e as antenas de radar dentro das cúpulas de fibra de carbono, replicando as dos aviões AWACS. Quem disse que o mar e o céu se encontram apenas no horizonte?

Wind Motion


Protótipo que provavelmente nunca será produzido, o trimarã Wind Motion  é um veleiro de 70 metros (cerca de 230 pés), dois mastros, duas plataformas laterais em forma de asas e velas dobráveis projetado pelo francês Mathis Ruhl para oferecer maior eficiência aerodinâmica. Seu foco é a transformação da energia eólica uma fonte propulsora mais eficiente. Para isso, conta com um equipamento chamado RTW ², instalado no centro do convés. Totalmente automatizado, este seria o principal sistema de propulsão do barco, mesmo em condições de vento médio. Se dará certo, só o tempo dirá. Mas só aparência já vale o like, né?

Fata Morgana

Obra de arte flutuante, o Fata Morgana, de 70 metros, é um iate radical projetado pelo designer e artista plástico George Lucian, de Mônaco, com o objetivo de explorar as águas do Ártico, incluindo a passagem do Noroeste, aumentando a conscientização sobre as mudanças climáticas. Para isso, está equipado com um casco da classe Ice e com dispositivos que monitoram constantemente a temperatura e a composição do oceano. Além disso, é capaz de navegar puxado por uma pipa, em viagens suaves de longa distância.

Seu convés principal abriga uma piscina, um telescópio, um heliporto e uma estrutura de vidro na popa, sob o qual ficam o salão principal e as suítes VIP. De longe, o Fata Morgana pode parecer uma ilha, exatamente como sugere o nome (Fata Morgana era uma fada fictícia que conseguia mudar de aparência), referindo-se a uma forma complexa de miragem, descrita em uma antiga lenda dos marinheiros.

Elyon

Com um pouquinho de boa vontade, dá para identificar uma onda nesse 110 metros saído da imaginação do casal Demetrius e Dana Tanase, do escritório Expleo Design. Com formas orgânicas (estilo já comum em artes plásticas, com curvas e traços presentes na natureza), o Elyon, de seis deques, teve como principal inspiração justamente uma onda. No caso, uma onda calma, elegante e, ao mesmo tempo, firme e forte. Cada deck tem suas próprias características e formas de entretenimento a serem descobertas, como banho de sol, piscina, jacuzzi, espaço para refeições, spa e academia, salão de jogos, cassino e até uma piscina coberta. O espaço embaixo do heliporto foi projetado para ser usado como um local de festa, com vista para a piscina coberta.

Caronte

Inspirado nos navios piratas do século XVII o Caronte, de 58 metros (190 pés) está a uma curta distância de se tornar realidade — essa distância é de US$ 200 milhões —, diferentemente da maioria dos barcos-conceitos. O lema do estúdio italiano Lazzarini Design, que assina o projeto, é “Pense no futuro, nunca esqueça o passado”, e é a maneira de mostrar como isso pode ser feito foi trazer o passado para a era moderna. Sua superestrutura se ergue a seis metros acima da linha d’água, dando origem a uma enorme área interior, com espaço para dois carros de luxo serem armazenados na garagem, Outros detalhes importantes, com os quais os piratas de outrora sequer podiam sonhar, são um heliponto no andar superior, uma piscina e uma academia de ginástica.

Origami

Diferente de tudo o que navega por aí, o Origami — outro projeto do designer e artista George Lucian — é um megaiate a vela de 100 metros de comprimento inspirado não só na secular arte japonesa de dobrar o papel, como o nome diz, como num tipo de embarcação asiática tradicional. Entre outras excentricidades, o mastro ergue-se do centro de uma piscina e culmina em cesto de observação batizado de “ninho de corvo”. Na popa, abre-se um moderno beach club, que pode ser usado como heliponto.

Intimisea

Projeto do estúdio Expleo Design, o Intimisea, de 100 metros, enfatiza fortemente os espaços abertos. Isso pode ser visto no amplo convés de popa, com sua enorme piscina (e bota enorme nisso), que pode ser alcançada diretamente do convés superior, através de quatro toboáguas. Outros recursos de destaque incluem um heliporto, academia, uma sala de cinema para 45 pessoas e até um cassino de tabuleiro. Sem contar a pintura, digamos, “esquisita”.

neWWave

Inspirado na cultura do Oriente Médio e na arquitetura moderna, o neWWave, de 87 metros, tem muitos pontos altos, a começar pela própria superestrutura de alumínio que se eleva a 8 metros de altura, graças à qual o pé-direito na cabine chega a 3,6 metros. “Por que a altura de 8 a 9 pés do teto tem de ser o padrão?”, questiona o designer Jaehoon Ahn, explicando o conceito por trás do projeto, que inclui quatro grandes, piscina de dez metros na popa, área de refeições ao ar livre e spa.

Taboo

Dentro do conceito de iate explorador, o Taboo, de 90 metros, foi projetado para transportar uma série de embarcações menores, incluindo um submarino, um helicóptero e um pequeno avião, o que permitirá ao proprietário explorar os cantos mais remotos do planeta. Seu estilo monocromático o diferencia de todas as outras embarcações e o amplo uso de vidros oferece vista panorâmica para os 26 privilegiados ocupantes de suas suítes, sem comprometer a privacidade. O projeto leva a assinatura da Gill Schmid Design e do Tim Dempers Studio.

Carat 187

O Carat 187 (ou 187 quilates) é um iate-conceito de 45 metros criado por uma equipe de design internacional com o objetivo de ser único, atípico, exagerado e ultra luxuoso. Não se pode dizer que não aceitaram na receita, né? Repare nas conchas assimétrica laterais, de formas esculturais. Segundo os projetistas, logo, logo ele poderá estar na água, pois já existe um interessado em pagar 114 milhões de euros para lhe dar vida.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Audi